Este website usa cookies para assegurar que tens a melhor experiência   Mais info

Procurar Imóvel

A Nova Estratégia do Turismo do Algarve Passa pelo Imobiliário

casas do barlavento,imobiliária algarve,turismo do algarve,invest in tourism,joao fernandes presidente,promover algarve,investimento estrangeiro

A Nova Estratégia do Turismo do Algarve Passa pelo Imobiliário

A acompanhar a tendência positiva que se tem vivido nos últimos anos no turismo, o novo Presidente do Turismo do Algarve, João Fernandes, revela algumas medidas que irá adotar nos seus anos de mandato (até 2023).


Uma das estratégias passa por tentar promover o Algarve como um destino de investimento atrativo para estrangeiros. Se a fidelização dos turistas foi conseguida com sucesso, agora João Fernandes espera consolidá-la com um compromisso mais sério, que passa pelo investimento na região.


Para isso, foi criada uma parceria com a Associação de Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP) que, em conjunto, oferecem um portefólio de edifícios devolutos ou em estado de degradação em zonas turísticas, para que sejam divulgados a potenciais investidores.


A plataforma “Invest in Tourism” já se encontra online (http://invest.turismodeportugal.pt/) e servirá para dois propósitos distintos, mas complementares – promove a recuperação do património degradado com potencial de desenvolvimento turístico e incentiva a captação de investimento exterior. Esta plataforma bilingue encontra-se orientada para quem pretende investir no turismo através da recuperação de património imobiliário.


Estreitam-se, assim, as relações entre o Turismo do Algarve e os agentes locais, no desenvolvimento de estratégias conjuntas de promoção exterior: “nós somos os braços ao vosso serviço, para desenvolver e responder aos vossos reptos. Porque é aqui que se desenham as estratégias e se identificam os problemas e as necessidades”, afirma Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo.


As estratégias do novo líder do Turismo do Algarve passam, então, por tentar intervir em várias matérias como meio de ligação entre agentes públicos e privados.